O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, advertiu nesta quarta-feira que se "irritará muito" se houver um massacre na Síria, e negou que no ano passado estivesse a ponto de ordenar o assassinato do líder sírio, Bashar al Assad, como assegura o jornalista Bob Woodward em seu novo livro.

"Acredito que é uma situação muito triste. Mas lhes digo que (acredito que) no final serão muito sensatos e cuidadosos. Se houver um massacre, o mundo se irritará muito e Estados Unidos se irritarão muito também", declarou Trump aos jornalistas ao se reunir na Casa Branca com o emir do Kuwait, o xeque Sabah al Ahmad al Sabah.

Nas últimas semanas, a ONU e as potências ocidentais advertiram que um grande ataque do regime sírio na província de Idlib, o último bastião dos rebeldes, pode criar uma crise humanitária sem precedentes.

EFE