A 23ª Delegacia Distrital de Polícia (DDP) de Goiânia deflagrou, na manhã desta quarta-feira (05), a Operação Ulpianus, com o objetivo de cumprir mandado de busca e apreensão em um escritório de advocacia no Setor Sul, onde seu proprietário é suspeito de falsificar procurações de titulares de processos relativos a financiamentos de veículos. Durante o cumprimento da determinação judicial, os policiais civis encontraram dois carimbos falsos, nos quais aparecem os nomes de um juiz de direito e um escrivão de polícia de Goiânia.

De acordo com informações da delegada titular da 23ª DDP, Érica Bortrel, o advogado falsificava procurações nas quais se conferiam poderes especiais para sacar quantias em depósito judicial, relativas a ações consignatórias já arquivadas. Ainda segundo a autoridade policial, o advogado captava clientes que haviam financiado veículos e eram partes em ações revisionais, e os orientava a depositar quantias em carta judicial.

Se esses clientes desistissem da ação no curso do processo, tinham dificuldades de dar continuidade a ela ou falecessem, o advogado produzia uma procuração de maneira fraudulenta, na qual se lhe conferiam plenos poderes. Ele então solicitava ao juízo o desarquivamento do processo e a expedição de alvará para saque das quantias.

Em uma das investigações conduzidas pela equipe da 23ª DDP, o advogado falsificou uma procuração em nome de uma cliente sua falecida em 2016. Em outro, sacou a quantia sem prévia autorização da vítima, que foi surpreendida ao receber mandado de busca e apreensão de seu veículo.

Se indiciado, o advogado será enquadrado nos termos do Artigo 337 do Código Penal Brasileiro (falsificação de documento particular), cuja pena é de dois a cinco anos de reclusão, se a infração não constituir crime mais grave.

Policia Civil de Goiás