A alta do dólar, ou melhor, “o real na privada” vai terminar de destruir os investimentos produtivos no Brasil.

 

A realidade dos times de Goiânia e de Goiás não é mesma de anos atrás, os tempos mudaram as farras de grana fácil acabaram os salários de jogadores foi inflacionado para manter aparências, só quem é pobre continua pobre!

Todo político sabe que algumas obras importantes na gestão pública não são vistas pela população. Um desses exemplos são esgoto e saneamento básico. Eles não dão votos, por isso são esquecidos.

Se os números são favoráveis, o levantamento é considerado confiável por quem está bem colocado, se são desfavoráveis a pesquisa é prontamente contestada.

O Luís Inácio é aquele que nasceu no interior de Pernambuco, passou fome, buscou a sorte em São Paulo e mesmo diante de tantas dificuldades sobreviveu. Já o Lula nasceu quando fez o seu primeiro discurso para sindicalistas. A partir dali surgia o maior líder político da América do Sul. O Lula foi deputado, depois perdeu eleições, mas se tornou presidente da República. Tinha tudo para ser uma história linda. Ele poderia ser sim para para o Brasil o que foi o Nelson Mandela para a África do Sul. Poderia ser tão perfeito quanto o seu discurso ou tão ético quanto a retórica petista.

Num exercício de alienação, tem gente sem noção falando em factoides para “rachar” a oposição, como se isso fosse mesmo necessário. Sem explicar a falta gestão nas prefeituras que administram, alguns grupos de oposição em Goiás cobram mudança do eleitor, mas se apresentam tão ruins administrativamente quanto o governo que criticam tanto.